quinta-feira, 17 de agosto de 2017

ADORAÇÃO E SALVAÇÃO (2)



                          
“O que me oferece sacrifício de ações de graças, esse me glorificará; e ao que prepara o seu caminho, dar-lhe-ei que veja a salvação de Deus” (Salmo 40:23)
A VERDADEIRA ATITUDE DE ADORAÇÃO A DEUS: “O que me oferece sacrifício de ações de graças”.
        Oh! Como é gloriosa a revelação bíblica! Vemos o quanto nosso Deus não é levado pela manipulação humana, na tentativa vã de passar despercebido. Nós estamos vivenciando essa situação de aparente espiritualidade em nossos dias, pois inventaram uma adoração emocional; parece ser verdade, parece ser espiritual, mas quando olhamos tudo à luz da palavra, vemos como Deus desfaz e queima tudo isso, transformando em cinzas. Os ensinos bíblicos têm o propósito de nos humilhar, visto que Deus é exaltado e glorificado. Onde a glória de Deus brilha como o sol ao meio dia, significa que a miséria humana há de ser revelada, porque não há como encobrir a realidade do coração perante o Santo de Israel.
        Na tentativa de encobrir a realidade de nossos corações amantes do pecado e cheios de idolatria, eis que nossa tendência natural é oferecer a Deus sacrifícios manipulados pela carne. Foi assim com Caim e será assim com todos os homens, quando não são levados à humilhação perante Deus. Nós gostamos de cultos talhados por elementos estranhos à palavra; queremos que Deus aceite o que nossa natureza adâmica produz. A natureza humana tem a tendência de ir longe nisso, porque o pecado faz com que tornemo-nos admiradores de nossas justiças, as quais não passam de trapos diante de Deus (Isaías 64:6). Israel agiu assim constantemente, pois quando Deus ordenava que obedecesse suas ordens, o povo fazia o contrário. Os homens no pecado têm fogo da paixão religiosa presa na carne.
        Deus, porém requer obediência do homem e não sacrifícios. É mais fácil fazer sacrifícios do que simplesmente cultuar a Deus com um coração simples, sincero e humilhado. Os homens no pecado querem encobrir os horrores do coração, fazendo os seus próprios altares. Os homens estão dispostos a mostrar o quanto são capazes de orar, gritar, expulsar demônios, cantar, pular e fazer outros sacrifícios, porque tudo isso tende a fazê-los sentir bem e que foram aceitos. É a natureza maligna caminhando pela via da profanação sem perceber que estão sendo iludidos. Já ilustrei isso muitas vezes com o povo de Israel, enquanto aguardava Moisés (Êxodo 32). Era simples esperar no Senhor; era simples meditar em seus grandes feitos por eles no Egito e no Mar Vermelho; era simples aquietar-se ali, sabendo que Deus era fiel e que cuidaria do seu povo.
        Mas, como arde o fogo das paixões na natureza humana! Eles queriam curtir a vida; queriam a liberdade de viver como bem queria e dar vazão a todos os seus anseios que ficaram presos na escravidão. Eles queriam uma divindade que pudesse ir à frente deles, abençoando suas intenções. Por esse fato o bezerro de ouro veio a calhar, funcionaria perfeitamente para liderar suas vidas. O que os homens querem? Assentar para comer e levantar para divertir. Os homens mudaram? Claro que não! Viemos todos de um Adão perdido; somos os perfeitos filhos da desobediência e deixados a sós estaremos sempre prontos a adorar os demônios em lugar de prestar culto a Deus com corações tementes e humildes.
        Qual é o alvo da vida? A resposta é bem simples, vinda da boca de Deus: Glorificar a Deus. E como o homem pode fazer isso? O verso acima responde: “O que me oferece sacrifícios de ações de graças, esse me glorificará”. Então, o Salmo 50 vem desmanchar toda fachada religiosa, vem revelar toda hipocrisia e vem silenciar nosso ego. O evangelho verdadeiro vem abalar toda essa estrutura montada pelo mundo religioso, a fim de calar a todos, mostrando que Deus é glorioso e temível. Nossos lábios devem ser abertos para chegar a ele em confissão e invocação.

A LIBERDADE DE DEUS EM SALVAR (2)



              
“Como está escrito: Amei Jacó, porém me aborreci de Esaú” (Romanos 9:13)
A LIBERDADE DE DEUS ILUSTRADA: “Amei Jacó, porém me aborreci de Esaú”.
        Minha esperança é que a introdução tenha atraído a atenção dos leitores para o que vem em seguida. O alvo da pregação é a glória de Deus e não nossa querer. Em Romanos 9 Paulo está apresentando o fato que Israel não foi abandonado; que o plano da salvação é a conquista de todo Israel, porque os judeus que são salvos são unidos aos gentios, formando um só rebanho, conforme o ensino do nosso Senhor.
        Notemos bem que Paulo não está elevando uma nação, só porque tem o nome de Israel. Paulo afirma que não é por ser judeu que automaticamente a pessoa entrará no céu. Paulo amava seu povo, mas seu ardente desejo de ver a salvação de seus conterrâneos estava subordinado à livre soberania da graça. Paulo mostra que há uma descendência santa, mesmo nos filhos dos patriarcas, como foi o caso de Isaque filho de Abraão e no caso de Jacó, filho de Isaque. Os filhos gêmeos de Isaque e Rebeca são usados para mostrar o quanto Deus opera não por obras, mas pela livre atuação da sua graça, por isso ele diz: “Amei Jacó, porém, me aborreci de Esaú”. Vemos como Deus não está lidando com os homens do ponto de vista humano, mas sim tendo a eleição como o firme fundamento.
        Deus falou a respeito dos gêmeos, antes de terem nascido, que amou um, mas aborreceu o outro. Pronto! Para Paulo essa declaração era suficiente; ele sabia que deveria estar subordinado à livre misericórdia de Deus e não à sua opinião particular, mesmo amando seu povo e desejando tanto a salvação de todos. A natureza humana não gosta de uma declaração dessa, porque é muito ofensiva. Nós achamos que Deus tem que salvar aqueles que nós queremos; nós somos apegados aos nossos entes querido aqui e queremos que um filho, neto, irmão, mãe e pai, etc. vão para o céu conosco. O que nós fazemos é tentar forçar a barra, achando que se a pessoa fizer uma decisão logo, eis que ela entrará no céu. Eu estou certo das boas intenções e dos santos desejos que temos pelo bem estar eterno de nossos entes queridos.
        Voltando ao texto, vemos que Deus, no tocante à salvação dos pecadores é livre para agir, porque ele mesmo mostrou esse fato no tocante aos gêmeos, pois amou um e odiou o outro. Assim Deus mostra que ele tem o Israel dele; que há uma descendência de Abraão que ele intitula de filhos da promessa, enquanto outros são largados à dureza natural de seus próprios corações. Não há um assunto que nos humilhe tanto quanto esse, porque massacra nossa natureza arrogante. Por natureza os homens acham que a decisão é deles de ir ou não ir para o céu; acreditam que é assim que Deus age, esperando que cada um tome sua decisão. Mas o texto, assim como todo capítulo 9 de Romanos anula toda essa invenção que parte de corações corrompidos.
        Esta página foi uma extensão da introdução, porque anelo que meus leitores vejam com Deus é livre em atuar na salvação de quem ele bem quer salvar. Isso está estampado em nossa experiência, pois vemos que ele opera salvando uns e rejeitando outros; salva uma senhora e não salva o marido; salva um filho ou dois numa família, mas entrega os outros ao embrutecimento dos seus corações, etc. Por que ele age assim? A resposta está no fato que ele é livre para agir com misericórdia com uns, enquanto com outros ele simplesmente abandona. Esse é o Deus que sempre agiu com os homens, comandado pelo livre curso de sua compaixão.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

A LIBERDADE DE DEUS EM SALVAR (1)



                  
“Como está escrito: Amei Jacó, porém me aborreci de Esaú” (Romanos 9:13)
INTRODUÇÃO:      
        Até parece que ando repetindo os mesmos assuntos, mas o fato é que o crescente abandono da mensagem pura e santa do evangelho nas igrejas nos incita a atacar a mentira com mais ardor, para o bem do povo e a honra do evangelho bíblico. Creio que não há vencer a verdade; creio que os resultados de toda e qualquer mentira só traz prejuízo em todos os aspectos aos homens; creio que a mentira, por mais que faça tanto barulho, terá que cair perante a verdade. Com o cerco dos falsos mestres presenciamos hoje uma teologia mais adaptada aos corações humanos, do que àquilo que é estritamente bíblico.
        O que esse humanismo florescente nos oferece? Tudo o que depende dos homens e da fé humana, nada tem a ver com a salvação vinda de Deus. O cristianismo moderno mostra seu fracasso em não expor o que o homem é e seu completo fracasso em todos os aspectos, porque jaz como defunto nas mãos do maligno (1 João 5:19). Mas, o que aprendemos na teologia bíblica é que Deus é livre para salvar quem ele quiser salvar, para isso o texto de Romanos nos foi deixado para que saibamos dessa verdade. Cremos que o que prevalece no mundo é a vontade soberana de Deus e não a vontade do homem. Isso significa que Deus não é obrigado a salvar; que em sua misericórdia ele é livre, que em nada eu posso mudar Deus, porque ele sabe lidar com os homens da forma dele e para a glória dele somente. Por isso tomei esta passagem em Romanos para expor essa verdade aos crentes e àqueles que interessam pela verdade do evangelho bíblico.
        Talvez o leitor esteja pensando que eu prego sobre isso porque não tenho uma igreja numericamente grande; porque eu não sou um pregador que atrai a multidão. Sendo assim, a provável conclusão é que eu não tenho o amor de Deus no coração; que sou cruel ao tratar com a malignidade do coração humano e até mesmo deixando muitos crentes na dúvida se são salvos ou não são. Realmente, não tenho uma grande congregação perante mim toda vez que prego. Mas o fato é que estou consciente de minha pobreza e incapacidade ao pregar a palavra fiel, e me surpreendo porque tenho ainda alguns que aparecem toda semana para ouvir minhas mensagens. Minha esperança é que meu Senhor tenha misericórdia de mim e me encha de seu poder. Creio em sua vontade soberana e sei que se ele quiser me usar para falar às multidões, ele pode fazê-lo em seu poder, caso contrário me agrado em estar submisso ao meu Senhor.
        Numericamente, meu sucesso ou insucesso não me fará mudar. Não posso mudar a mensagem a fim de agradar a multidão. Não creio que Deus tem uma mensagem mais adaptada aos dias modernos, porque o homem, em qualquer lugar e em todo tempo é o mesmo. A ordenança de Deus é que eu cumpra o meu ministério com fidelidade. À água cristalina que vem do trono celestial não precisa ser adicionado o açúcar ou melado das opiniões e do gosto dos homens caídos. Quem tem sede há de buscar essa agua, para nunca mais ter sede e quem tem fome há de buscar esse pão que sacia para sempre a fome da alma faminta. Minha igreja não é velório para encher de mortos. A casa de Deus é o lugar do Deus vivo e verdadeiro e nos alegramos com a presença dele em nosso meio. Sua mensagem pura e santa é fonte de alegria, prazer e felicidade, porque denuncia o pecado, o mundo e o diabo, trazendo a glória somente e tão somente para ele.

ADORAÇÃO E SALVAÇÃO (1)



                                 
“O que me oferece sacrifício de ações de graças, esse me glorificará; e ao que prepara o seu caminho, dar-lhe-ei que veja a salvação de Deus” (Salmo 40:23)
INTRODUÇÃO:      
        Nossos olhos se voltam para o texto tão carregado de riquezas da graça no Salmo 50. A verdade do evangelho brilha como joia preciosa em toda extensão das sagradas letras, basta que humildemente cheguemos e recebamos a palavra de Deus com prazer e satisfação em nossos corações. O alvo de toda mensagem bíblica é mostrar ao mundo a salvação de Deus e seus efeitos santificadores, nas vidas de homens e mulheres que se achegam ao Deus da bíblia em sincera contrição.
        O texto acima vem nos revelar o quanto o evangelho verdadeiro denuncia as fraudes rotuladas de “evangélicas” em nossos dias. Os verdadeiros pastores, fieis ao Senhor e à sua palavra sentem o quanto são menosprezados e tachados de cruéis, sem amor, porque simplesmente se apegaram à verdade do evangelho puro e santo. Devemos nos apegar aos soldados fieis, os quais não se afastaram das fileiras santas e que amam ao Senhor e as almas perdidas. O evangelho bíblico não precisa de modificação, de um ajuste melhor, a fim de se adaptar ao cristianismo moderno. Não se muda o que é perfeito. Na gramática brasileira existe o tempo verbal chamado de “mais que perfeito”, mas não existe isso na gramática bíblica, porque se há algo mais que perfeito é porque deixa de ser perfeito.
        Caros leitores, creio que é meu dever trazer a vocês uma exposição desse texto do salmo 50, porque sei o quanto será valioso aos nossos corações. Com tantos falsos mestres circulando livremente no atual cenário religioso, o resultado esperado é que a natureza maligna dos homens vai achar que pode manipular Deus. Foi assim em toda história da raça caída. Foi assim com a nação mais religiosa de todos os tempos – Israel. Por essa razão que Deus trouxe a lume essas verdades. O que é adoração a Deus? O que significa salvação, conforme o ensino das Escrituras? O leitor atento vai observar que o texto inteiro nos mostra como Deus se manifesta aos que se intitulam de “povo de Deus”. Que a Palavra de Deus venha nos mostrar a necessidade de temor em nossos corações.
        O Salmo 50 é Deus falando não ao povo de fora, mas sim àqueles que estão dentro da igreja, que estão cantando louvores, que estão levantando suas mãos, que acham que estão fazendo o melhor para Deus, mas que realmente estão enganadas. Em Sua misericórdia o Senhor mostra para dois tipos de pessoas – salvos e não salvos – o que Ele requer dos crentes para a verdadeira adoração e dos pecadores, a fim de que encontrem a verdadeira salvação. O Deus da bíblia é o mesmo Deus do Antigo e do Novo Testamento. Salvação sempre foi o resultado de conversão genuína, de santo temor ao Senhor. Tudo no viver do verdadeiro crente é resultado da obra da graça, por isso ninguém vai a Deus se não for pelo caminho da humilhação e contrição. Quando isso não ocorre, os homens enganosamente tentarão manipular Deus; acharão que podem adorar Deus pela energia da carne. É isso o que vemos na primeira parte desse salmo.
        Serei grato ao Senhor se meu esforço aqui resultar em vidas humilhadas, arrependidas e prontas para a santificação. Darei louvores ao Senhor se esse meu trabalho trouxer almas sinceras perante o Senhor. Se não houver um despertamento para a verdade que nos foi revelada, certamente não teremos conversões sinceras em nossos dias. A hipocrisia sempre resultará em novos hipócritas; a mentiras acarretará em novidades mentirosas e assim satanás consegue encher este ambiente de trevas, trazendo o severo juízo de Deus sobre os homens. Nossa luta é para que haja luz, assim como Deus ordenou no princípio. Com a mensagem da verdade o evangelho verdadeiro vem proclamar a entrada da luz celestial, como bênção da graça de Deus em nossos dias.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

PROMESSA DE SALVAÇÃO A TODOS (10 de 10)




“Porque, todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo” (Romanos 10:13)
O ALVO DA PROMESSA: “...será salvo”.
        Quero encerrar essa mensagem mostrando como o final revela o quanto a promessa de salvação mostra ser tão rica. Homens e mulheres que tateiam neste mundo por causa da cegueira, não podem ver o quanto a humilhação dos homens tem como objetivo leva-los à glória. Consideremos como o mundo faz tudo funcionar pelo avesso, pois aqui o que satanás faz é primeiramente elevar o homem, mostrar o quanto ele tem direito de viver e obter tudo o que este mundo lhe oferece. A ênfase das mentiras do diabo é promover alegria oca e paz perigosa no meio desse oceano de vaidades, assim os homens não percebem que fatalmente serão empurrados das alturas para o além de desespero eterno.
        Mas a promessa de Deus aos perdidos é que se eles invocarem o nome do Senhor, serão realmente salvos. O plano de Deus em Cristo é a salvação dos perdidos; o propósito de Deus não é mudar este sistema mundano; não é fornecer uma vida melhor aqui. Cristo Jesus desceu do céu à terra para arrancar homens desse sistema escravizador, a fim de leva-los para a glória eterna. A bíblia inteira proclama a salvação de Deus em Cristo e Deus quer mostrar o quanto essa salvação é, de fato, uma tão grande salvação, na linguagem de Hebreus 2:3. Sei que é impossível mostrar tudo isso numa página só, além do fato que me considero tão ínfimo para tratar dessas riquezas entalhadas em toda Escritura. Mas posso expor que a salvação entregue ao perdido consiste em três tipos:
                                               SALVAÇÃO DA CONDENAÇÃO
        Significa que o réu pecador passa a ser para sempre livre da condição de réu; que escapa da ira justa e santa de Deus que agora paira sobre sua cabeça: “Quem nele crê não é julgado...” (João 3:18). Significa que o réu culpado se torna inocente, mediante a justiça de Cristo nele; que a alma é reconciliada com Deus, para ser aceita como inocente, sem qualquer culpa legal. Não há na bíblia uma salvação postergada; Deus não chega a uma alma contrita, para dizer-lhe que mais tarde vai pensar no assunto. A salvação é imediata, acontece num instante. Imediatamente o fardo cai, a culpa é tirada e a vida eterna é implantada no seu ser. Imediatamente o herdeiro do inferno passa a ser herdeiro do céu e partícipe da glória. Imediatamente um filho da ira é feito filho do amor de Deus. Quando Cristo salvou o ladrão na cruz, eis que essa salvação foi imediata. Ele não precisou ser levado após a morte, para um lugar no universo, onde deveria passar por anos de purificação, até se tornar apto para entrar no céu. Sua petição de fé foi suficiente para a graça de Deus tomar aquele homem para si.
                                       SALVAÇÃO DO PODER DO PECADO
        A salvação do inferno não significa que o salvo ficou livre dos enredos pecaminosos deste mundo, porque enquanto ele aqui viver está ainda exposto aos desejos da carne que se manifestam em seu corpo mortal. Mas o Senhor e Salvador prometeu cuidar do seu povo e livrar suas ovelhas das armadilhas do maligno (Judas 24). Tem sido essa a experiência de todos os verdadeiros crentes neste mundo. Eles são os que realmente se consideram fracos como ovelhas diante dos lobos e leões. Mas por outro lado eles dependem do Senhor dia a dia, para livrá-los dos perigos que tanto lhes assaltam. Eles são habilitados para andar em vitória contra o mundo, satanás e a carne diariamente.
                                       SALVAÇÃO DA PRESENÇA DO PECADO
        Finalmente chegará o momento quando os salvos, mediante a morte física deixarão este corpo mortal, e assim passarão imediatamente para a glória, onde habitarão com seu Senhor, onde nunca mais hão de pecar; onde tudo é perfeito e para sempre glorioso. E você meu amigo, a palavra de Deus tem falado ao seu coração? Não é o momento agora para sua entrega a Cristo, a fim de ser salvo?